UM LIVRO POR SEMANA: Um Crime Capital

Sugestão de David Silva
08-10-2018

Em suma, neste romance policial, várias pessoas são assassinadas e o inspetor- chefe Jaime Ramos e o seu ajudante Isaltino de Jesus vão tentando descobrir qual o elo comum entre um casal de amantes, um informático e uma misteriosa rapariga.

 

A história é interessante e verosímil, pois cruza personagens reais, como, por exemplo, a Administradora da Capital Europeia da Cultura Porto 2001 (Teresa Lago) e o ex-Ministro da Cultura (José Maria Carrilho), com personagens ficcionais, que têm vida, a qual se vai descobrindo ao longo da leitura do livro, não se limitando ao seu papel de vítimas de um crime.

“Um Crime Capital” foi publicado primeiramente em folhetim no “Jornal de Notícias” (JN), pelo que o ritmo narrativo está adequado a este formato. Os leitores do JN, que seguiam fielmente a história, que se desenrolava na cidade do Porto, ousaram influenciar a narrativa, pedindo ao autor que matasse determinadas figuras públicas. Outras vezes, criticavam Francisco José Viegas por ser pouco cuidadoso com os pormenores, recriminando-o por não ter investigado o suficiente para a escrita do livro. Por exemplo, uma das provas do crime, uma peça de lingerie em cetim preto da Dolce & Gabbana, foi identificada pelo inspetor como sendo de um modelo que, segundo uma leitora descobriu, nunca foi comercializado pela marca italiana.

No meu entender, uma crítica plausível está relacionada com as referências aos lugares, ruas, restaurantes e monumentos do Porto, que, por vezes, parecem excessivas e até um pouco fastidiosas. Contudo, estas alusões exageradas explicam-se pelo facto do livro ter sido originalmente publicado em formato de folhetim no “Jornal de Notícias”, conforme já referido. Considerando que a ligação entre o JN e o Porto é muito próxima e bem conhecida de todos, não admira que, para agradar à maioria dos leitores daquele jornal, se tenha usado e abusado das referências a locais emblemáticos do Porto, bem como a outras localidades que lhe são próximas.

Quanto à minha opinião propriamente dita, tenho a dizer-vos que este livro não é o melhor policial que já li. Como aspetos negativos, saliento o facto de, por vezes, confundir algumas personagens e as ligações entre elas, sobretudo por causa dos seus nomes. Alguns dos seus diálogos são monótonos e desinteressantes.

Como aspetos positivos, realço que a história faz sentido, tem realismo e está bem escrita. Gostei especialmente do enquadramento espacial na cidade do Porto e do reconhecimento de muitos dos seus lugares mais emblemáticos.

Por conseguinte, aos leitores mais curiosos e apreciadores do género policial, recomendo a leitura desta obra, por ter sido escrita por um autor português e também por se desenrolar na cidade do Porto.

Nome: “Um Crime Capital”
Autor: Francisco José Viegas
Editora: Porto Editora
Modo literário: Narrativo / Romance policial


Sugestão de leitura do aluno David Miguel dos Santos Oliveira Alves da Silva