Duas pessoas com projetos de vida com sentido

AJ ESCLARECE
08-10-2018

«O Comité de Oslo decidiu atribuir o Prémio Nobel da Paz de 2018 a Denis Mukwege e Nadia Murad, pelo seu trabalho em combater e denunciar o papel da violência sexual nos conflitos armados...


Denis Mukwege é ginecologista congolês, especializado no tratamento de mulheres que foram violadas em grupo, um fenómeno recorrente desde o início da Segunda Guerra do Congo, na República Democrática do Congo (RDC). O Comité justificou a sua escolha classificando Mukwege como “o mais destacado e mais unificador símbolo, tanto nacional como internacionalmente, da lista para acabar com a violência sexual na guerra e nos conflitos armados”. No Hospital Panzi, fundado por Mukwege (RDC), mais de 50 mil mulheres vítimas de violência sexual foram tratadas desde 1999.

Nadia Murad é membro da minoria étnica Yazidi. Foi raptada pelo Estado Islâmico em 2014, no Iraque, tendo sido repetidamente violada por membros do grupo. Três meses depois de ter sido raptada, conseguiu fugir. Desde então, tem trabalhado como ativista para alertar para o problema da violência sexual como arma de guerra. Em setembro de 2016, foi nomeada Embaixadora da Boa-Vontade das Nações Unidas, com a pasta da defesa das vítimas de tráfico humano. O Comité de Oslo destacou como Nadia “recusou-se a aceitar os códigos sociais que exigem às mulheres que fiquem em silêncio e envergonhadas pelos abusos a que foram sujeitas”, elogiando a sua “invulgar coragem” ao contar a sua história e falar em nome de outras vítimas.

O Comité justificou a sua decisão com o assinalar de dez anos da assinatura da Resolução 1820 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que considerou pela primeira vez o uso da violência sexual como arma de guerra um crime de guerra.»

Cátia Bruno https://observador.pt/2018/10/05/denis-mukwege-e-nadia-murad-nobel-da-paz-para-ativistas-contra-violencia-sexual-em-conflitos/

Se quiser saber mais sobre o tema consulte:
A Resolução 1820 (2008) adotada pelo Conselho de Segurança na sua 5916.ª sessão, celebrada em 19 de junho de 2008.

Sobre a situação das mulheres nos conflitos armados:
P7_TA(2012)0028 Resolução do Parlamento Europeu, de 2 de fevereiro de 2012, sobre a situação das mulheres nos conflitos armados (2011/2198(INI)

A abordagem global da implementação pela UE das Resoluções 1325 e 1820 do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre as mulheres, a paz e a segurança foi completada pela Implementação da RCSNU 1325 reforçada pela RCSNU 1820 no contexto da PESD.


Rubrica: AJ ESCLARECE
Curso de Assessoria Jurídica e Documentação