segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

CULTURA & LAZER

Actividades

Pesquisar:
Ver actividades por:  

Ano Lectivo

 

Tipo

 

Ano Lectivo:2010-2011    Tipo:VIAGENS NA NOSSA TERRA

 
Rubrica
Viagens na Nossa Terra!
1 de Maio de 2011

 

 



GUARDA

As “Viagens na Nossa Terra” vão desta vez até à cidade mais alta de Portugal.

A Guarda, cidade portuguesa, capital do Distrito com o mesmo nome e que tem uma população residente de cerca de 170.000 habitantes, fica situada a 1056 metros de altitude, sendo a mais alta de Portugal. Situa-se na região centro de Portugal, pertence à sub-região estatística da Beira Interior Norte. O núcleo urbano da cidade da Guarda tem cerca de 30.000 habitantes.

O concelho da Guarda encontra-se subdividido em 55 freguesias. O município é limitado a nordeste pelo município de Pinhel, a leste por Almeida, a sueste pelo Sabugal, a sul por Belmonte e pela Covilhã, a oeste por Manteigas e por Gouveia e a noroeste por Celorico da Beira.

É conhecida como a cidade dos 5 Éfes. São eles os de Forte, Farta, Fria, Fiel e Formosa. A explicação destes efes tão adaptados posteriormente a outras cidades é simples:

1. Forte: a torre do castelo, as muralhas e a posição geográfica demonstram a sua força;

2. Farta: devido à riqueza do vale do Mondego;

3. Fria: a proximidade à Serra da Estrela explica este F;

4. Fiel: porque Álvaro Gil Cabral – que foi Alcaide-Mor do Castelo da Guarda e trisavô de Pedro Álvares Cabral – recusou entregar as chaves da cidade ao Rei de Castela durante a crise de 1383-85. Teve ainda Fôlego para combater na batalha de Aljubarrota e tomar assento nas Cortes de 1385 onde elegeu o Mestre de Avis (D. João I) como Rei;

5. Formosa: pela sua natural beleza.

Falando um pouco da história da Guarda, refira-se que nos primeiros séculos da romanização da Península Ibérica habitavam a região da Guarda povos lusitanos. Após o período romano seguiram-se períodos de ocupação por parte dos visigodos, mais tarde pelo reino das Astúrias e também pela civilização islâmica. Só após o processo da reconquista é atribuído o foral, confirmando definitivamente a importância da cidade e da região.

Quanto ao turismo, este é uma aposta da Guarda. Actualmente, o concelho tem vários hotéis que aproveitam a proximidade com a Serra da Estrela, com as Aldeias Históricas e com a região do Douro. A gastronomia do concelho é muito diversificada, com destaque para o Caldo de Grão, o Bacalhau à Conde da Guarda, Bacalhau à Lagareiro, o Cabrito Assado, as Morcelas da Guarda e o Arroz Doce.

Falando dos monumentos de maior destaque desta cidade, merecem referência a Sé Catedral, a Igreja de S. Vicente e a Igreja da Misericórdia, as Portas da Cidade (do Sol, da Erva, D’El Rei e Falsa), o Paço Episcopal e as Muralhas.

Por todos estes motivos e porque as acessibilidades são muito boas, pois seguindo-se pela A1, até Albergaria, e depois pela A25, chegaremos em pouco mais de duas horas a esta bela cidade do interior de Portugal.

Boa Viagem!

José Pedrosa

Erro no leitor